Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, VII Congresso Sulbrasileiro de Ciências do Esporte

Tamanho da fonte: 
AS MULHERES NO OCTÓGONO: ESPORTES E ATRAVESSAMENTOS DE FRONTEIRAS
Carla Lisbôa Grespan, Silvana Vilodre Goellner

Última alteração: 2014-11-26

Resumo


O Mixed Martial Arts é um esporte socialmente constituído como masculino que ao ser praticado pelas mulheres subverte e/ou reitera o processo heteronormativo sendo um importante objeto de estudo da área da Educação Física. Utilizando como aporte teórico os Estudos Culturais, de Gênero e Queer é possível apresentar outro olhar científico para a temática “mulheres e esportes” e seus atravessamentos com as performatividades de corpos, gêneros e sexualidades. Dentro dos diferentes artefatos midiáticos que existem em nossa sociedade, destaca-se a cibercultura, sendo em lugar profícuo para investigar as relações de saber-poder que perpassam essa prática corporal/esportiva. Dentro desta perspectiva este artigo tem por objetivo estimular a reflexão sobre os discursos sobre corpos, gêneros e sexualidades das lutadoras de MMA que são veiculados e articulados nos comentários d@s usuári@s nas reportagens de dois sites Combate e Tatame, a partir de três acontecimentos ocorridos no ano de 2013: 1º - a primeira luta entre mulheres, Ronda Rousey x Liz Carmouche (UFC); 2º - a primeira atleta transexual (assumida) a lutar MMA profissional, Fallon Fox (CFA); 3º - o primeiro combate oficial de MMA entre um homem e uma mulher, Emersom Falcão x Juliana Velasquez (Shooto Brasil 45).

Texto completo: PDF